Sábado, 22 de Janeiro de 2022
32°

Poucas nuvens

Cajazeiras - PB

Geral Pará

Estudantes recitam poemas da coletânea “Somos Iguais. Somos Diferentes” no estande da Ioepa

Alunos de duas escolas do Tapanã escreveram e apresentaram poemas no Portal do Conhecimento, na 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes

04/12/2021 às 00h50
Por: Redação de Plantão Fonte: Secom Pará
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Pará
Foto: Reprodução/Secom Pará

Estudantes, professores e equipe pedagógica das escolas públicas Francisco Berton e Aldebaro Klautau, no bairro do Tapanã, em Belém, vivenciaram um momento especial na tarde desta sexta-feira (03), na 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes: o lançamento da coletânea “Somos Iguais. Somos Diferentes”, no espaço Portal do Conhecimento, no estande da Imprensa Oficial do Pará (Ioepa).

Foi o momento de jovens estudantes recitarem para os visitantes do estande poemas que escreveram em sala de aula, sobre a temática voltada ao combate ao racismo. Para escrever o poema “Sou Negra”, a estudante do 2º ano do ensino médio da Escola Aldebaro Klautau, Samilly Costa Domingos, 16 anos, disse que se inspirou na irmã, que sofria muito preconceito quando era mais nova.

Professores e alunos no espaço do Portal do Conhecimento, no estande da Imprensa Oficial
Professores e alunos no espaço do Portal do Conhecimento, no estande da Imprensa Oficial - (Foto: Victor Johhan / IOEPA)

“Mesmo com tanta discriminação, ela (a irmã) nunca teve vergonha da pele dela, e isso fez com que eu criasse esse poema, pensando nela o tempo todo”, contou Samilly, ao reforçar a importância do trabalho desenvolvido na escola. “Esse projeto é muito importante por conscientizar as pessoas, pois infelizmente o racismo ainda é muito forte no Brasil”, acrescentou.

Estudante Milla Risuenho, autora de um dos poemas da coletânea
Estudante Milla Risuenho, autora de um dos poemas da coletânea - (Foto: Victor Johhan / IOEPA)
O poema “Iguais e Diferentes” foi escrito e recitado pela estudante do 1º ano do ensino médio da Escola Francisco Berton, Milla Gleise Risuenho Silva, 16 anos. “Estava sentada na frente da minha casa e comecei a olhar pro céu, me perguntando: quantas vidas, quantas pessoas já sofreram por racismo? Então, foi isso que chegou ao meu coração, e foi uma experiência muito gratificante”, relatou a jovem.

As duas jovens também foram premiadas com livros, em votação realizada entre os professores que assistiram ao recital da coletânea, composta por um folder com 10 poemas de alunos da Escola Aldebaro Klautau e outro folder, com sete poemas, de autoria de alunos da Escola Francisco Berton.

Temas atuais- O projeto é resultado de um trabalho com o gênero “Poema”, realizado há mais de 10 anos pela professora e jornalista Tânia Monteiro, na disciplina de Língua Portuguesa das turmas do ensino médio. Ela explicou que o diferencial de cada edição do projeto está nos temas atuais que são levados para sala de aula. “Este ano nós trouxemos o tema do combate ao racismo. Sempre digo: estamos em pleno século XXI, e esse tema precisa ser pautado sempre nas escolas e na mídia em geral. Não podemos aceitar que pessoas possam discriminar outras pessoas por raça, religião, orientação sexual e outras situações”, frisou a professora.

Durante o projeto foram produzidos 40 poemas e selecionados 17 para as duas coletâneas, que ficarão disponíveis no varal de poesias do Portal do Conhecimento, a partir das 10 h deste sábado (04), para quem quiser levar para casa.

“O projeto é maravilhoso por incentivar a ler e escrever poemas, e abordar uma temática bem atual. Estamos em um momento no Brasil em que há muito preconceito incentivado pelo próprio presidente da República. Então, quando você desperta nas crianças e nos jovens a necessidade de elas refletirem sobre o tema por meio dos poemas é interessante, porque eles aprendem a conviver com as diferenças”, destacou a coordenadora do Portal do Conhecimento, Sandra Batista.

O trabalho contou com o apoio das diretoras Rosana Ribeiro (da Escola Francisco Berton) e Rosiana Garcia (da Escola Aldebaro Klautau), além das coordenadoras pedagógicas Luiza Amélia Araújo e Vera Silva, e da USE 09 (Unidade Seduc na Escola).

Texto: Julie Rocha - Ascom/Ioepa

Por Governo do Pará (SECOM)
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários