Terça, 28 de Setembro de 2021
26°

Poucas nuvens

Cajazeiras - PB

Esportes BOTAFOGO-PB

Clayton lamenta empate do Botafogo-PB contra o Tombense, pela Série C: "Veio 2018 na cabeça"

Botafogo-PB se reapresenta na tarde desta segunda-feira na Maravilha do Contorno. Os trabalhos da semana serão voltados para a importante partida contra o Manaus, no próximo domingo.

06/09/2021 às 17h49 Atualizada em 06/09/2021 às 17h54
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: Guilherme Drovas / Botafogo-PB
Foto: Guilherme Drovas / Botafogo-PB

O empate sofrido aos 49 do 2º tempo contra o Tombense, nesse domingo, no Estádio Almeidão, teve um gosto amargo para os atletas do Botafogo-PB, que lamentaram a saída do G-4 do Grupo A da Série C a três rodadas do fim da fase classificatória. O meia Clayton, que esteve em campo no fatídico jogo do acesso à Série B em 2018, contra o Botafogo-SP, afirmou que o resultado o fez rememorar o doloroso gol do atacante Caio Dantas, para a Pantera paulista, no apagar das luzes do Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

Na noite do domingo, no Almeidão, o Belo dominou a partida até os minutos finais; no entanto, nos acréscimos da segunda etapa, quando a vitória por 1 a 0 já parecia consolidada, o lateral-esquerdo Manoel aproveitou uma bola cruzada na área e deixou tudo igual no placar, frustrando os planos do Alvinegro em colar na liderança da chave. O amargor pelo placar final não foi sentido apenas pela torcida, mas também pelo elenco botafoguense, que, de acordo com o meia Clayton, precisa permanecer concentrado do apito inicial até o fim das partidas.

— Até veio 2018 na cabeça. Naquela ocasião, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, foi um jogo fora de casa, valendo vaga na Série B. Doeu bastante. Na minha opinião, foi um dos melhores jogos que a gente fez no Almeidão (contra o Tombense). Controlamos o jogo todo, tivemos chances e não merecíamos (o empate). Mas futebol é ingrato. A gente tem que estar concentrado até acabar o jogo. Eles só colocaram bola na área. A gente ainda só depende da gente. Serve de aprendizado. Agora é buscar fora de casa — avaliou.

O Botafogo-PB realizou 15 partidas na Série C até o momento e, destas, empatou sete. O filme visto pela torcida no domingo, no Almeidão, pareceu ser uma repetição do que aconteceu no confronto contra o Volta Redonda, na rodada #12, quando o Belo saiu à frente no marcador, mas, também nos minutos finais, cedeu o empate aos cariocas. Para o polivalente Pablo, lateral-direito de origem, mas que tem exercido a função de volante sob o comando de Gerson Gusmão, o recuo botafoguense nos últimos 15 minutos de jogo foi fator determinante para o tropeço. O momento, ainda de acordo com o defensor, deve ser de aprendizado para que as falhas não voltem a ser cometidas nesta reta final da 3ª divisão nacional.

— É triste, porque, na minha concepção, a gente fazia um grande jogo até os 30 minutos do segundo tempo. Depois a gente recuou, eles colocaram mais jogadores na frente, e a gente acabou aceitando essa pressão. Sustentamos até o fim, mas, infelizmente, aconteceu. Que isso sirva de lição. Se não aprendemos contra o Volta Redonda, temos que aprender agora contra o Tombense, porque é reta final. É decisão. A gente quer o nosso lugar de volta no G-4. Não tem remédio. É trabalhar — pontuou.

O Botafogo-PB se reapresenta na tarde desta segunda-feira na Maravilha do Contorno. Os trabalhos da semana serão voltados para a importante partida contra o Manaus, no próximo domingo, no Estádio Ismael Benigno, o Estádio da Colina, na capital amazonense. Em caso de vitória contra o Gavião do Norte, os paraibanos voltam à zona de classificação e, de quebra, podem reassumir a liderança do Grupo A.

 

Com ge

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários