Terça, 28 de Setembro de 2021
24°

Poucas nuvens

Cajazeiras - PB

Paraíba HOMICÍDIO

Mulher morta com quase 40 facadas, na Paraíba, dormia na casa da mãe com medo do filho de 15 anos

A mulher chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma da cidade, mas chegou ao local sem vida.

26/08/2021 às 09h59
Por: Redação
Compartilhe:
 Foto: Polícia Militar/Divulgação
Foto: Polícia Militar/Divulgação

Viviane Rodrigues de Souza tinha 31 anos e dormia na casa da mãe, em Campina Grande, porque tinha medo do filho de 15 anos, suspeito de matá-la com quase 40 facadas. "Hoje foi o dia pior da minha vida, muito difícil deixar uma filha naquele lugar frio, isolado, deserto. Ele era violento com ela, ela já estava dormindo aqui com tanto medo. Ele não vivia em casa, aparecia de vez em quando. E toda vez que ele chegava, ele pedia dinheiro", conta a mãe da vítima, Celiane de Souza.

Depois de ser golpeada com faca, Viviane foi socorrida ainda com vida, mas uma das facadas atingiu o coração e teve uma perfuração de aproximadamente 4 cm. De acordo com o perito Márcio Leandro, foi essa facada que causou a morte.

O laudo feito pelo Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Campina Grande, divulgado nesta terça-feira (24), aponta que ela foi atingida com 15 golpes de faca no rosto e na cabeça.

Ao todo, foram identificadas 39 facadas no corpo de Viviane Rodrigues de Souza, de 31 anos, distribuídos nas mãos, antebraços, pescoço, costas, tórax e coxa. Mas, segundo o diretor do Numol, Márcio Leandro, pode ser que a quantidade de ferimentos seja ainda maior.

Também de acordo com a direção do Numol, foram constatadas muitas lesões de defesa nas palmas das mãos da mulher, o que indica que ela tentou se defender durante as agressões. O corpo dela foi liberado nesta terça.

Já o adolescente de 16 anos, filho da vítima e suspeito de cometer o crime, está à disposição da Justiça na Central de Polícia de Campina Grande. Em depoimento, ele declarou que estava sob efeito de drogas durante o crime e que a mãe teria envolvimento com a morte do pai dele, afirmação que a polícia já descartou. "Ele botou uma fantasia na cabeça que a minha menina, devido ter sofrido muito no relacionamento, teve parte na morte. No dia do acontecido, ela estava trabalhando", revela a mãe da vítima, Celiane de Souza.

Entenda o caso

Viviane Rodrigues de Souza, de 31 anos, foi morta a facadas na tarde da segunda-feira (24), na casa onde morava em Campina Grande. O suspeito de cometer o crime é o filho dela, um adolescente de 15 anos.

Para a TV Paraíba, uma vizinha da vítima disse que a mulher ouviu quando ela pediu ao filho para não ser morta. Informou ainda que tentou impedir o crime, mas não conseguiu e acabou presenciando a ação.

Ainda de acordo com a mesma vizinha, o outro filho da mulher morta, de 5 anos, também viu o crime. Desesperada, a criança teria tentado pular o muro da casa para fugir.

Para um policial que o deteve, ele disse que a mãe teria participado do assassinato do pai dele e que, por isso, ele teria se vingado. Mas, conforme a polícia, não há confirmação do envolvimento dela.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Francisco de Assis, a tia do adolescente teria dito que ele é usuário de drogas desde os 12 anos e costumava pedir dinheiro à mãe para comprar o material.

Ele teria pedido um valor nesta segunda. Mas, como está desempregada, ela não tinha a quantia. Segundo a tia do jovem, essa teria sido a motivação do crime. Ele, no entanto, nega a versão e não admite que usa drogas.

O suspeito fugiu do local. Mas, cerca de 10 minutos depois, foi encontrado pela PM ainda ensanguentado.

A mulher chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma da cidade, mas chegou ao local sem vida.

 

Com g1

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários