Terça, 28 de Setembro de 2021
29°

Poucas nuvens

Cajazeiras - PB

Paraíba MILÍCIA

Acusado de chefiar milícia e ordenar morte de Marielle é preso na Paraíba

A organização criminosa foi citada em uma reportagem da revista Veja, em 17 de julho deste ano, pela viúva do capitão Adriano Magalhães da Nóbrega ao falar sobre quem teria matado a vereadora Marielle Franco.

29/07/2021 às 08h07 Atualizada em 29/07/2021 às 08h18
Por: Redação Fonte: Assessoria
Compartilhe:
Foto: reprodução
Foto: reprodução

Um homem suspeito de ser mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes foi preso nesta quarta-feira, 28, pela Polícia Civil da Paraíba. Segundo a Agência Brasil, o detido é Almir Rogério Gomes da Silva, chefe da milícia da Gardênia Azul e do Morro do Tiro, no Rio de Janeiro. 

Almir foi preso por agentes da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) no município de Queimadas, distante cerca de 140 km de João Pessoa.

No momento da captura, o suspeito estava na companhia de outro homem, que também foi detido. Segundo a polícia paraibana, a relação de Almir com a morte de Marielle teria sido revelada por Julia Lotufo. A mulher é viúva do ex-capitão do Bope, Adriano da Nóbrega, que foi acusado de chefiar uma milícia. 

Adriano foi morto em uma troca de tiros com a polícia na zona rural do município de Esplanada, na Bahia. O grupo miliciano ao qual Almir pertenceria foi citado por Julia, ao falar sobre quem teria matado Marielle.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários