Anvisa poderá dar aval a vacina contra Covid com eficácia de 50%, diz gerente

Anvisa poderá dar aval a vacina contra Covid com eficácia de 50%, diz gerente

Segundo a cientista-chefe da organiza√ß√£o, Soumya Swaminathan, embora o mínimo de 70% de efic√°cia seja desej√°vel, uma vacina com 50% ainda ser√° capaz de ajudar a conter a pandemia.

Na pr√°tica, uma efic√°cia mínima de 50% indica que metade do grupo que receber a vacina seria imunizado. A OMS, porém, tem defendido que, caso n√£o haja uma vacina com efic√°cia próxima de 100%, países ainda assim usem a imuniza√ß√£o de forma estratégica, usando algumas vacinas para preven√ß√£o e outras como controle de surtos, por exemplo.

O processo de aval a uma vacina ainda depende de mais an√°lises, como a comprova√ß√£o de seguran√ßa, ou seja, de que eventos adversos mais graves s√£o raros. Segundo o gerente da Anvisa, o prazo definido para que a agência dê parecer após pedidos de registro –etapa necess√°ria para que uma vacina possa ser ofertada – é de 60 dias.

Para acelerar essa an√°lise, a agência criou um processo que permite que empresas possam submeter documentos com dados dos resultados de estudos de forma prévia para acompanhamento. "Tivemos que repensar nossos procedimentos e fluxos. Precis√°vamos de uma resposta célere sem abrir m√£o de seguran√ßa e efic√°cia."

As declara√ß√Ķes ocorreram em uma audiência na C√Ęmara dos Deputados sobre o est√°gio atual da vacina em desenvolvimento pela Universidade de Oxford com a Astrazeneca. Além dela, outras três possíveis vacinas est√£o em testes no país.

A de Oxford, porém, é considerada uma das mais adiantadas em testes. Em junho, a Fiocruz fez um acordo para compra de doses e transferência de tecnologia com a AstraZeneca.

A previs√£o é obter, inicialmente, 100 milh√Ķes de doses. Em seguida, a ideia é produzir mais 165 milh√Ķes, chegando a 265 milh√Ķes ao todo em 2021, afirma a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima. É preciso, antes ainda, que a vacina apresente efic√°cia em testes da chamada fase 3, a última etapa de estudos.

Os resultados preliminares s√£o previstos para novembro deste ano. Caso sejam positivos, as 100 milh√Ķes de doses estariam disponíveis em etapas durante o primeiro semestre, e o restante nos meses seguintes.

O cronograma da Fiocruz prevê ainda submeter um pedido de registro à Anvisa em janeiro de 2021. A etapa é necess√°ria para que a vacina possa come√ßar a ser distribuída. Ainda assim, o montante inicial n√£o deve ser suficiente para cobrir toda a popula√ß√£o.

Segundo o vice-presidente da Fiocruz, Marco Krieger, o mais prov√°vel é que sejam necess√°rias duas doses –o que indica que, apesar da amplia√ß√£o, o total ainda seria disponível apenas para alguns grupos.

O secret√°rio de vigil√Ęncia do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia, disse que, além do acordo com a Fiocruz, a pasta acompanha estudos de outras vacinas e aderiu à iniciativa Covax Facility. O programa, vinculado à OMS, acompanha o desenvolvimento de nove possíveis imunizantes, e visa garantir a oferta entre países.

O ministério também prepara uma licita√ß√£o para compra de 300 milh√Ķes de seringas. "Em 2021, se der tudo certo, se a vacina se comprovar segura e eficaz, podemos ent√£o vacinar a popula√ß√£o brasileira", disse, sem citar datas.