Coronavírus: MPs recomendam que Campina Grande retire casos duplicados de base de dados

Coronavírus: MPs recomendam que Campina Grande retire casos duplicados de base de dados
Recomenda√ß√£o foi motivada pela inconsistência registrada entre os dados dos boletins epidemiológicos emitidos pelo município e pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) da Paraíba. MPs recomendam que Campina Grande retire casos duplicados de base de dados

Divulgação/Secom-PB

O Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público da Paraíba (MP/PB) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) recomendaram que o município de Campina Grande (PB) fa√ßa, em até 48 horas, a filtragem da base de dados de casos confirmados de covid-19 registrados na cidade, com a identifica√ß√£o e exclus√£o de todos os registros em duplicidade. O documento, emitido nesta segunda-feira (29), d√° o prazo de 24 horas para que o município informe se acata ou n√£o as medidas recomendadas.

Saiba o que fazer se apresentar sintomas de contamina√ß√£o na Paraíba

Curva de contágio: evolução de casos confirmados, mortes, gráficos e dados

Como ficam os servi√ßos na Paraíba após medidas para conter a pandemia

Os órg√£os ministeriais também orientaram o município sobre a continuidade das medidas, como a alimenta√ß√£o di√°ria nos sistemas federais e o cruzamento, também di√°rio, dos dados para identifica√ß√£o de inconsistências. As a√ß√Ķes têm a finalidade de evitar um volume de dados incorretos.

A recomenda√ß√£o foi motivada pela inconsistência registrada entre os dados dos boletins epidemiológicos emitidos pelo município e pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) da Paraíba. No dia 28 de junho de 2020, por exemplo, o boletim estadual indicou uma diferen√ßa de mil casos a mais de covid-19 na cidade.

Segundo a apura√ß√£o dos MPs, as inconsistências s√£o possivelmente geradas pelo fato de existirem testagens de uma mesma pessoa em mais de um local, ou por instabilidade da própria ferramenta. Os órg√£os apontam ainda que é dever do município realizar a filtragem na base de dados para excluir as duplicidades.

Em uma reuni√£o que aconteceu no dia 25 de junho entre os três Ministérios Públicos e as secretarias estadual e municipal de saúde, o secret√°rio estadual Geraldo Medeiros, informou que o estado apenas repassa os dados do banco de dados alimentado pelo município.

Ainda no encontro, o município de Campina Grande assumiu o compromisso de filtrar a base de dados, sanando as duplicidades do sistema. No entanto, apesar do encaminhamento, os boletins de 28 de junho n√£o apresentaram alinhamento dos números, quando o boletim estadual registrou 1.061 casos confirmados a mais em Campina Grande.

Em nota, divulgada na última quinta-feira (25), a SES refor√ßou que desenvolve os boletins di√°rios de acordo com os dados que s√£o alimentados pelos municípios e que o processo de vigil√Ęncia municipal deve ser constante.

Também na última quinta, o secret√°rio de saúde de Campina Grande, Filipe Reul, informou à TV Paraíba que o município faria a revis√£o dos casos. Nesta segunda, o G1 entrou em contato com a assessoria de comunica√ß√£o do órg√£o, que ainda n√£o emitiu um posicionamento sobre os prazos impostos pelos MPs.