Disney reformulará atração considerada racista com ambientação de "A Princesa e o Sapo"

Disney reformulará atração considerada racista com ambientação de

A Splash Mountain, uma das famosas atrações da Disney tanto na Flórida como na Califórnia, passará por uma reformulação inspirada no filme "A Princesa e o Sapo" (2009) para "se conectar com a diversidade das milhões de pessoas que visitam o parque a cada ano", informou a empresa nesta quinta-feira (25).

Até então, a atração era inspirada no filme "A Canção do Sul" (1946), que segundo críticos relata com saudosismo o período da escravidão nos Estados Unidos. A mudança anunciada pela empresa ocorre em meio a manifestações contra a discriminação racial no país.

Em comunicado, a Disney afirma que "trabalha desde o ano passado neste novo conceito inclusivo", com Tiana, a primeira princesa negra da companhia, "no qual todos os visitantes poderão se conectar e se inspirar".

"Tiana é uma mulher moderna, valente e empoderada, que não hesita ao buscar seus sonhos e nunca perde de vista o que é importante. É uma grande história com uma personagem forte situada em Nova Orleans e na região da Louisiana", analisou a Disney.

Vencedora do prêmio Tony de melhor atriz coadjuvante em musical em 2004, Anika Noni Rose será a encarregada de dar voz à princesa na atração, que reproduzirá uma das partes finais da animação, na qual Tiana beija o sapo.

No entanto, a mudança não agradou todos. Uma iniciativa da plataforma Change.org já coletou mais de 36 mil assinaturas (até o fechamento da matéria) para que a Disney reconsidere o projeto e mantenha a atração como está, pois "não há nada errado como ela" e "se perderia uma parte da magia do parque".

"A polêmica de "A Canção do Sul" vem da representação dos escravos e suas relações com os proprietários de escravos. A Splash Mountain elimina estes elementos e foca unicamente nas histórias divertidas que não são racistas", argumentou Eric Thibeault, o criador da iniciativa.

*Com EFE